2140

Prefeitura Municipal de Conceição do Jacuípe

Pular para o conteúdo
Prefeitura Municipal de
Conceição do Jacuípe

Conceição do Jacuípe avança em índices do Ideb e escola supera média nacional

Fonte: DECOM
23/09/2022 às 10h06

Noticia

Galeria com imagens e vídeos sobre a matéria


Criado no ano de 2007, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) se tornou a principal ferramenta para medir o fluxo escolar e a média de desempenho das escolas nas avaliações, servindo como um importante parâmetro de política pública.

O cálculo do Ideb é realizado com base nos dados de aprovação, a partir do Censo Escolar, e nas médias do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb). Na última sexta-feira (16), o Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgaram os resultados referentes ao ano de 2021.

Em Conceição do Jacuípe, os números refletiram um importante salto, que ratificam a transformação que a educação do município vem passando através da gestão da prefeita Tânia Yoshida (PSD). Durante live, ela não escondeu a satisfação com os resultados.

“Muito legal. Estão de parabéns todos os profissionais de educação, diretores, profissionais envolvidos e a nossa secretária. Nos anos iniciais, em 2019, alcançamos a média de 4,5. Em 2021 já foi de 4,8. Muito bom. Mas vai melhorar ainda mais. Podem ter certeza. Já nos anos finais, passamos de 3,3 para 4,1. Então melhorou bastante”, elogiou.

O Grupo Escolar Tertuliano Pereira Roque teve destaque, saltando de 4,8 para 5,3 durante o ano passado, superando a média nacional. O Grupo Escolar Municipal de Pindobas avançou de 3,7 para 4,3, enquanto a Escola Professora Laura Ribeira Lopes passou de 4,3 para 4,8.  

“O Ideb melhorou bastante. Temos profissionais excelentes, uma secretária totalmente comprometida. Fico feliz com essa avaliação no município. E quero dizer a vocês que, em 2023, uma boa parte das escolas já vai ter o ensino integral. Sou a favor e sempre defendi. No meu terceiro mandato foram 11 escolas em tempo integral, mas destruíram tudo e agora vamos voltar”, concluiu Tânia.